segunda-feira, janeiro 23

O Rei Músico - D. João IV

D. João IV (Vila Viçosa, 19 de Março 1604 – Lisboa 6 de Dezembro 1656) foi o vigésimo segundo Rei de Portugal, e o primeiro da quarta dinastia. João era filho de Teodósio II, 7.º Duque de Bragança e herdou o ducado 1630, como João II.

Por via paterna era trineto do rei Manuel I de Portugal, através da duquesa D. Catarina. Ficou para a história como O Restaurador (por haver sido restaurada a independência nacional) ou O Afortunado (por aparentemente, uma vez caída a coroa na sua cabeça, não ter querido reinar, e só se ter decidido após a intervenção da esposa).

Tal como a generalidade dos “Bragança”, terá sido um grande entusiasta das artes, a ele se atribui o facto de no século XVII ter existido em Vila Viçosa uma das maiores academias de Música de Portugal e da Europa.


É também defendido que terá sido o autor de um projecto de instalação de uma Universidade em Vila Viçosa, plano esse que abandonou aquando da sua coroação como Rei de Portugal e deslocação para Lisboa em 1640, época em que Vila Viçosa inicia o seu declínio após grande apogeu durante os séculos XVI e XVII.

A D, João IV se atribui igualmente a autoria de um dos hinos de Natal mais célebre em todo o mundo, “Adeste Fidelis” – D. João IV.

Adeste Fidelis
Laeti triumphantes
Venite, venite in Bethlehem
Natum videte
Regem angelorum
Venite adoremus, Venite adoremus,
Venite adoremus, Dominum

Cantet nunc io
Chorus angelorum
Cantet nunc aula caelestium
Gloria, gloriaIn excelsis Deo
Venite adoremus, Venite adoremus,
Venite adoremus, Dominum

Ergo qui natus
Die hodiernaJesu, tibi sit gloria
Patris aeterni
Verbum caro factus
Venite adoremus, Venite adoremus,
Venite adoremus, Dominum